INTERCÂMBIO DE CONHECIMENTO E PRÁTICAS DO PROCESSO PRODUTIVO

Estive durante os meses de junho e julho em Trier na Alamenha, realizando um Estágio Prático na Cervejaria Kraft Bräu. Retornei com novos conhecimentos e práticas. Nosso curso agora está totalmente revitalizado...

Abraços, Felipe Viegas

Enriko e Patrick (Kraft Bräu) e Felipe Viegas (Taberna do Vale)

CURSO DE PRODUÇÃO DE CERVEJA EM CASA

CURSO DE PRODUÇÃO DE CERVEJA EM CASA
COMO CHEGAR NA TABERNA DO VALE - Nova Lima - Br-040 - sentido RJ - Av. Canadá, 968 - Bairro Jd. Canadá

Faça-nos uma visita, será um prazer recebê-los na Taberna do Vale. Agende sua visita com Felipe Viegas (31) 9136-8484

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

AGRIPINA BISTRÔ - Um belíssimo trabalho de disseminação da CULTURA CERVEJEIRA em Brasília

Gastronomia

Uma ode à cerveja

Brasília realmente entrou na onda das cervejas gourmets. E, seguindo essa linha, o Agrippina Bistrô chega à capital oferecendo rótulos pra lá de especiais

Tamanho da Fonte Danielle Ramos
dsilva@jornaldacomunidade.com.br
Redação Comunidade VIP

Agrippina Bistrô: 90 rótulos de cervejas oriundas da Bélgica, Espanha, Reino Unido e outros países
Agrippina Bistrô: 90 rótulos de cervejas oriundas da Bélgica, Espanha,
Reino Unido e outros países

A cerveja especial ou gourmet é aquela que segue as leis de produção e as práticas da cultura cervejeira, que possui todo um padrão e processo de preparo. A maioria delas são elaboradas com matérias primas da melhor qualidade, com nenhum aditivo ou pouquíssimos aditivos químicos. Para exaltar essa cultura, os sócios Alberto Nascimento e André Gomes montaram uma casa que é um verdadeiro templo da cerveja. Trata-se do Agrippina Bistrô, que fica na 102 Norte.


Inaugurada no ano passado com a proposta de trazer opções de cervejas especiais ao brasiliense, a casa combina pratos que se harmonizam com a bebida. “A proposta da casa era montar um restaurante onde as cervejas especiais fossem

Cervejas escuras do tipo stout acompanham bem qualquer sobremesaCervejas escuras do tipo stout acompanham bem qualquer sobremesa
o conceito principal. Dessa forma, temos a carta de cervejas e as opções do cardápio que se harmonizam com elas. Além disso, cerca de 30% do cardápio é preparado com as cervejas especiais. A ideia é brincar com a bebida também na hora da composição dos pratos”, enfatiza Alberto.


Cervejas do mundo
A carta de cervejas do Agrippina apresenta cerca de 90 rótulos e é mudada constantemente, de acordo com as novidades. É possível encontrar cervejas da Espanha, Alemanha, Bélgica, Reino Unido, República Tcheca e Estados Unidos. Grande parte dos rótulos exaltam as cervejas nacionais e artesanais como Colorado, Baden Baden, Therezópolis e Eisenbanh. Uma cerveja destacada por Alberto Nascimento é a CarolWeiss, de Belo Horizonte, que é a primeira cerveja produzida com levedura nacional. “Trabalhamos com um movimento cervejeiro que se chama Slow Bier, que privilegia as cervejas artesanais. Por isso, 40% do nosso cardápio traz cervejas provenientes de microcervejarias brasileiras”.


A democracia impera ali e há cervejas para todos os gostos e bolsos. “A cerveja mais vendida na casa é a alemã Weihenstephaner Weissbier, elaborada à base de trigo. Uma curiosidade sobre essa cerveja é que ela começou a ser produzida em 768 e obteve a licença de comercialização em 1040. Ou seja, há quase mil anos tem autorização para ser vendida”, divulga Alberto. “Outra cerveja que é muito vendida é a Paulane, considerada uma das melhores cervejas do mundo”, completa.


O carpaccio de roastbeef  da casa é marinado com a   cerveja belga HoegaardenO carpaccio de roastbeef da casa é marinado com a cerveja belga Hoegaarden
Um rótulo de origem espanhola chama atenção, trata-se da Estrella Damm Inedit, uma cerveja assinada pelo mestre Ferran Adrià. Outra garrafa que desperta curiosidade é a Deus. “A Deus é produzida pelo método champenoise. Feita na Bélgica, a bebida segue para a região de Champagne, na França, onde recebe a levedura de champanhe e passa por todo o processo de um champagne”, explica Alberto.

Uma boa combinação
O cardápio é assinado pelo chef Diego Koppe, que em parceria com o cervejólogo Rodrigo Lemos desenvolveu as receitas. O menu da casa apresenta petiscos, entradas, saladas, massas, risotos e pratos sugeridos pelo chef. Nesse quesito, a cozinha francesa ganha nova roupagem, como é o caso do prato coq a la bière (peito de frango com cogumelos salteados na manteiga, servido ao molho de cerveja vermelha guarnecido com purê de abóbora). Para os que preferem petiscar, uma boa pedida é o roastbeef marinado (carpaccio de roast marinado na cerveja belga Hoegaarden, e servido com finas fatias de abacaxi grelhadas com gengibre e cestinha de pães). E, para a sobremesa, a sugestão é o sorvete de Guinness, receita desenvolvida pela sorveteria Gula Gelada.


Um comentário:

  1. Os pratos são muito bem harmonizados e a carta de cerveja é vasta.

    Boa matéria.
    Abraço,
    Alessandra
    @cervejaeesmalte

    ResponderExcluir