INTERCÂMBIO DE CONHECIMENTO E PRÁTICAS DO PROCESSO PRODUTIVO

Estive durante os meses de junho e julho em Trier na Alamenha, realizando um Estágio Prático na Cervejaria Kraft Bräu. Retornei com novos conhecimentos e práticas. Nosso curso agora está totalmente revitalizado...

Abraços, Felipe Viegas

Enriko e Patrick (Kraft Bräu) e Felipe Viegas (Taberna do Vale)

CURSO DE PRODUÇÃO DE CERVEJA EM CASA

CURSO DE PRODUÇÃO DE CERVEJA EM CASA
COMO CHEGAR NA TABERNA DO VALE - Nova Lima - Br-040 - sentido RJ - Av. Canadá, 968 - Bairro Jd. Canadá

Faça-nos uma visita, será um prazer recebê-los na Taberna do Vale. Agende sua visita com Felipe Viegas (31) 9136-8484

terça-feira, 4 de setembro de 2012

A CERVEJA E A CONCENTRAÇÃO DE MERCADO NO MUNDO

por Jota Fanchin Queiroz 

A concentração dos mercados e o surgimento de mega companhias transacionais é um fenômeno do século XXI. Em diversos segmentos fusões e incorporações fazem com que permaneçam um número cada vez menor de players no mercado com produtos cada vez mais padronizados globalmente. E o mercado de cervejas é um exemplo clássico dessa concentração. Hoje apenas quatro grandes companhias dominam mais de 50% do mercado mundial. São elas a belga Ab-Inbev (22%), a inglesa SAB-Miller (14%), a holandesa Heineken (9%) e a dinamarquesaCarlsberg (7%). 

Uma corrente de economistas apregoa que esse é o capitalismo moderno. Eu discordo frontalmente. Não é capitalismo, e sim um cartel público privado que atende aos mais diversos interesses, menos o dos consumidores. O próprio Adam Smith já alertava que nada é mais perigoso para o livre mercado do que a reunião entre empresários o que diria ele dessa concentração desmedida patrocinada pelos estados. Mas é a realidade, e o objetivo desse post é analisar a concentração nos principais mercados do mundo. Podemos analisar em três níveis de concentração: mercado concorrencial, concentração moderada e concentração elevada. 

No primeiro grupo, entre os dez maiores mercados do mundo, apenas a Alemanha. O único país com um verdadeiro mercado concorrencial. Isso se deve ao valor que a cerveja tem na cultura do país e à impossibilidade de players internacionais penetrarem em seu mercado. 

No segundo grupo, a surpreendente China, a Rússia e o Reino Unido, com concentração moderada e forte presença de pequenas cervejarias. 

E com mercado dominados por poucas empresas (oligopólios), em ordem crescente de concentração: Estados Unidos, Espanha, Polônia, Japão, México e Brasil. 

1.China (CM=50%)
Produção Anual: 45 bilhões de hectolitros
Consumo Per Capita: 35 litros/ano
Concentração de Mercado: 50%
A concentração de mercado na China ainda é moderada, até mesmo pelas dimensões do país. Felizmente ainda subsistem diversas cervejarias regionais. Das empresas que dominam o mercado duas são chinesas: Tsingtao e Yanjing; e duas são transnacionais: SAB-Miller (Snow) e AB-Inbev (Zizhulin). 

2.Estados Unidos (CM=80%)
Produção Anual: 23 bilhões de hectolitros
Consumo Per Capita: 79 litros/ano
Concentração de Mercado: 80%
O bastião do liberalismo, em que pese a revolução das artesanais, é um mercado bastante concentrado. Duas empresas, AB-Inbev (Bud Light) e SAB-Miller (Miller) dominam 80% do market share. 

3.Brasil (CM=98%)
Produção Anual: 12 bilhões de hectolitros
Consumo Per Capita: 58 litros/ano
Concentração de Mercado: 98%
Amplamente dominado pela AB-Inbev, o mercado brasileiro é um dos mais concentrados do mundo. Além da dominação absoluta da empresa belga, três grandes cervejarias completam a concentração quase absoluta: a holandesaHeineken (Kaiser), a japonesa Kirin (Schincariol) e a nacional Petrópolis (Itaipava).

4.Russia (CM=76%)
Produção Anual: 10 bilhões de hectolitros
Consumo Per Capita: 73 litros/ano
Concentração de Mercado: 76%
A Russia também sofreu uma forte concentração em seu mercado nos últimos anos. Três empresas apresentam juntas 3/4 de market share: Carlsberg (Baltika),Heineken (Efes) e Ab-Inbev. 

5. Alemanha (CM=38%)
Produção Anual: 9,6 bilhões de hectolitros
Consumo Per Capita: 107 litros/ano
Concentração de Mercado: 38%
Apesar de ter o segundo maior consumo per capita do mundo, a Alemanha é modelo de mercado sem concentração. A tradição alemã fala mais alto, impedindo que os grandes players mundiais ganhem espaço. A Alemanha é realmente um país especial. 

6. México (CM=98%)
Produção Anual: 8 bilhões de hectolitros
Consumo Per Capita: 61 litros/ano
Concentração de Mercado: 98%
Na mesma situação do Brasil, o México apresenta um índice de concentração altíssimo. Duas transnacionais dominam o mercado: AB-Inbev (Modelo) e Heineken(Femsa). 

7. Japão (CM=96%)
Produção Anual: 6 bilhões de hectolitros
Consumo Per Capita: 49 litros/ano
Concentração de Mercado: 96%
Outro mercado absolutamente concentrado, mas com players nacionais: Kirin,Sapporo e Asahi. 

8. Reino Unido (CM=75%)
Produção Anual: 4,5 bilhões de hectolitros
Consumo Per Capita: 81 litros/ano
Concentração de Mercado: 75%
Em que pese o CAMRA e a tradição das ales inglesas, é também hoje um mercado relativamente concentrado. Quatro grandes companhias dominam: Heineken(Foster's), Carling, AB-Inbev (Stella Artois) e Carlsberg. 

9. Polônia (CM=90%)
Produção Anual: 3,5 bilhões de hectolitros
Consumo Per Capita: 85 litros/ano
Concentração de Mercado: 90%
Como os países em desenvolvimento, a Polônia apresenta uma forte concentração de mercado que é dividido por três companhias transnacionais: SAB-Miller, AB-Inbev e Carlsberg. 

10. Espanha (CM=82%)
Produção Anual: 3,3 bilhões de hectolitros
Consumo Per Capita: 80 litros/ano
Concentração de Mercado: 82%
A Espanha tem um mercado parecido com o do Japão que, apesar da concentração, ao menos tem grande participação de empresas locais. As três dominantes: San Miguel, Heineken e Damm. 

Fonte: www.biersekte.de

Nenhum comentário:

Postar um comentário