INTERCÂMBIO DE CONHECIMENTO E PRÁTICAS DO PROCESSO PRODUTIVO

Estive durante os meses de junho e julho em Trier na Alamenha, realizando um Estágio Prático na Cervejaria Kraft Bräu. Retornei com novos conhecimentos e práticas. Nosso curso agora está totalmente revitalizado...

Abraços, Felipe Viegas

Enriko e Patrick (Kraft Bräu) e Felipe Viegas (Taberna do Vale)

CURSO DE PRODUÇÃO DE CERVEJA EM CASA

CURSO DE PRODUÇÃO DE CERVEJA EM CASA
COMO CHEGAR NA TABERNA DO VALE - Nova Lima - Br-040 - sentido RJ - Av. Canadá, 968 - Bairro Jd. Canadá

Faça-nos uma visita, será um prazer recebê-los na Taberna do Vale. Agende sua visita com Felipe Viegas (31) 9136-8484

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Pesquisa mostra crescimento das cervejas premium no Brasil


A empresa inglesa Mintel, especializada em inteligência de consumo e produto, acabou de liberar uma pesquisa sobre o mercado de cervejas no Brasil. Considerado um dos mercados emergentes no mundo, nosso país vem demonstrando um crescimento no consumo e na produção de cervejas, com destaque para o setor de cervejas premium, que vem obtendo um crescimento acelerado na comparação com as cervejas standard.
O relatório da Mintel aponta que o setor de cervejas premium teve um crescimento de impressionantes 18% em 2011, ao passo que as cervejas mainstream tiveram uma queda de 2% no volume de produção. Isso acarretou um crescimento no market share das premium, alcançando a marca de 12% em 2011, com um aumento de 0,6% em relação ao ano anterior.
Tais números são explicados pela mudança nos hábitos de consumo do brasileiro. Segundo Sebastian Concha, Diretor de Pesquisa da Mintel na América Latina, a realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas no país nos próximos anos, abre ainda mais oportunidades para o setor cervejeiro. “Com um produto intimamente ligado à cultura do esporte, as cervejarias podem capitalizar o entusiasmo local e o posicionamento do produto premium pode ser beneficiar disso”, diz Concha. Ele segue:“a ‘premiumnização’ da indústria será um fator-chave para o crescimento do mercado nos próximos cinco anos, o que representa oportunidades significativas para o setor”.
Tais números e tendências são significativos e dignos de comemoração, mas devemos ter uma certa dose de interpretação ao analisarmos esses dados. Vejamos: cervejas premium não são, definitivamente, cervejas de melhor qualidade. O termo é usado para classificar as cervejas pelo preço. Normalmente, as premium até possuem uma qualidade um pouco acima da média, mas outros fatores, como o posicionamento de mercado, influem na classificação.
Se considerarmos o setor de microcervejarias, o relatório mostra que o mercado está crescendo, o que é bom. Por outro lado, ele diz que, por ser um mercado promissor, o Brasil pode ganhar grandes investimentos das grandes empresas do setor cervejeiro, o que pode dificultar bastante a vida das pequenas empresas que não tem tanta força para se manter na competição.

Stephen Beaumont, autor do livro The World Atlas of Beer e um entusiasta do mercado cervejeiro no Brasil, alerta em seu blog para a futura atuação das macrocervejarias:“Continuo convencido que o futuro da cerveja artesanal no Brasil é brilhante, mas com a AmBev e outras grandes cervejarias notando o grande potencial de receita na América do Sul, a estrada à frente provavelmente não será nada fácil”.
Ficamos esperando mais cenas dos próximos capítulos, mas fica a impressão de que com o aquecimento do mercado, TODOS ganharão. Mesmo que alguns vejam com receio a entrada das macrocervejarias no nicho das cervejas especiais, a verdade é que isso acabará resultando num aumento do público das boas cervejas, um público infiel por natureza e ávido por novos sabores e aromas. Com a beerevangelização feita pelas grandes, as pequenas cervejarias poderão se beneficiar. Assim espero, sinceramente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário